Buscar
  • Cecilia Gomes

Como o Fluxo de Caixa interfere na realidade do seu negócio

Atualizado: Jul 18


No início do ano, quando nem se imaginava que o mundo iria virar de cabeça para baixo, eu escrevi um texto explicando o que é o Controle de Fluxo de Caixa, sua importância... Caso não tenha lido este artigo, você pode ler, e ainda ganhar uma planilha para aplicar no seu dia-a-dia, clicando aqui.


Ao fazer uma gestão do fluxo de caixa adequada, que começa pelo acompanhamento detalhado de todas as entradas e saídas de valores do seu caixa, o empreendedor é capaz de avaliar, com antecedência, sua capacidade de pagamento dos seus custos e despesas e também de tomar as medidas necessárias se identificar que haverá dificuldade em fazê-lo em algum momento.


Quando não há esse acompanhamento, o gestor acaba levando sustos, descobrindo sempre muito em cima da hora que não será capaz de fazer algum pagamento ou, na melhor das hipóteses, que deixou de aproveitar alguma oportunidade pois não tinha conhecimento do seu real saldo em caixa.


Todas as decisões dentro de uma empresa devem ser olhadas considerando-se seu impacto no caixa. Mesmo as decisões relacionadas a um novo produto que significará maior entrada de receitas irá, de alguma maneira, gerar despesas.


Para ficar mais claro como impacto das decisões podem afetar o seu caixa, coloco aqui um exemplo de um negócio simples, de uma pessoa que fabrica e vende doces. Neste exemplo, ela gasta R$ 1 para cada doce que fabrica e consegue vender este doce a R$ 3. Para facilitar o exemplo, vamos ignorar custos e despesas adicionais neste período. Para iniciar o seu negócio, este empreendedor começa com R$ 50 de investimento. 


CASO 1: EMPREENDEDOR COMPRA MATERIAL À VISTA E RECEBE À VISTA


Como ainda não tem crédito junto ao fornecedor, ele ainda faz todas as suas compras à vista e sempre vende com pagamento à vista também.

No primeiro dia, ele recebe um pedido de 50 doces. Pega seus R$50, vai ao fornecedor e compra o material. Ele fabrica e vende seus doces, recebendo R$ 150 (R$ 3 por cada).


Nos dias que se seguem, ele continua recebendo mais encomendas e mantém a mesma rotina. Compra o material do dia, fabrica e vende, sistematicamente até que no dia 8 de julho ele possui R$ 2.157 no caixa.


CASO 2: EMPREENDEDOR COMPRA MATERIAL A PRAZO E RECEBE À VISTA


Agora vamos imaginar uma outra situação. Este mesmo negócio, mas o empreendedor consegue que o fornecedor dos produtos lhe dê um crédito para pagar o material apenas 3 dias de pois de comprá-lo.

No exemplo acima, ele começa o negócio com R$ 50, continua recebendo à vista, mas tem 3 dias para pagar suas compras. 


Assim, no primeiro dia, após comprar o material para o pedido de 50 doces, ele não precisa pagar nada. Como ele recebe os R$ 150 pelos doces vendidos, ele termina o dia com R$ 200 no banco, e não R$ 150, já que não pagou pelas compras.


Os mesmos pedidos continuam entrando e o empreendedor continua fabricando, entregando e recebendo.


Neste segundo exemplo, a gestão do fluxo de caixa passa a ser ainda mais importante já que as compras passam a ser feitas a prazo. Com isso, um empreendedor menos organizado pode acabar entendendo que tem dinheiro sobrando no caixa quando na verdade tem ainda faturas de fornecedor a pagar. 


Embora o saldo final em 11/8 seja o mesmo nos dois exemplos, há diferenças ao longo do período. No dia 6, por exemplo, em vez de ter R$ 1.757 no caixa, como no primeiro exemplo, há R$ 2.390. Se o empreendedor não tem registrado as faturas que ainda tem a pagar, ele pode acabar considerando o saldo total em conta como lucro da sua operação e depois não ter dinheiro para fazer frente às obrigações já contratadas.


CASO 3: EMPREENDEDOR COMPRA MATERIAL À VISTA E RECEBE A PRAZO


Podemos pensar uma terceira situação em que o empreendedor tenha que comprar à vista, mas precise dar 3 dias para seus clientes pagarem.

Para fins de comparação entre os exemplos, os mesmos pedidos continuam entrando e o empreendedor continua comprando, fabricando, entregando e recebendo. A diferença aqui é que ele paga no ato da compra do material, mas só recebe do cliente 3 dias depois.


Assim, ele começa o seu negócio com os mesmos R$ 50 e recebe um pedido de 50 doces. Ele paga suas compras, já que não possui crédito com o fornecedor, entrega os doces, mas não recebe. Dessa forma, ele termina o dia com seu caixa zerado, ao contrário da primeira situação em que terminava o dia com R$ 150 (pagava e recebia pelas vendas à vista), ou mesmo do 2º exemplo, em que terminava o dia com R$ 200 (recebia pela venda dos doces, mas não pagava as compras).


Quando o pedido dos doces do 2º dia entra, ele não tem caixa para fazer suas compras e é obrigado a entrar no cheque especial ou a pedir emprestado, já que de outra maneira ele não teria como continuar produzindo. E assim ele vai indo pelos 6 dias que se seguem, quando finalmente ele passa a ter saldo em sua conta para fazer as compras.


Notem que o saldo final da operação é o mesmo. Nos 3 casos, o saldo final no dia 11 é R$ 2.157, gerando um resultado importante no período. No entanto, a combinação de pagamento à vista com recebimento a prazo pode ser desastrosa para um negócio que não tem um caixa forte para sustentar a operação. Este empreendedor poderia ter quebrado e sido obrigado a fechar seu negócio caso não tivesse recorrido a um “empréstimo”.


COMPARANDO: QUEM TEVE O DIA-A-DIA MAIS TRANQUILO?


Para facilitar a comparação, coloco abaixo uma imagem com os 3 exemplos. Observe como os valores andam ao longo do tempo, com as células marcadas com as mesmas cores.

Saldo inicial, saldo final e valores das compras e receitas é o mesmo. Mas o dia-a-dia do empreendedor é totalmente diferente.


CONCLUSÃO


O controle das entradas e saídas do seu caixa é fundamental para a gestão de um negócio e tomar a decisão de dar mais prazo para seu cliente pagar não pode ser feito aleatoriamente, sem analisar o seu poder de sustentar a sua operação e seu poder de pagamento.


Como eu disse no artigo anterior, qualquer tamanho ou tipo de empresa deve ter um Controle de Fluxo de Caixa. Até mesmo um pequeno empreendedor como o usado no exemplo acima.


Se precisar de ajuda, fale com um especialista em Gestão Financeira. Basta clicar aqui.



41 visualizações
  • Preto Ícone YouTube
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone Instagram
  • Black LinkedIn Icon